Notícias

Velhinha de 88 anos evita abuso ao dizer apenas uma frase

com apenas uma frase a senhora de 88 anos afastou seu agressor.

O estupro é um ato repulsivo e acontece em todo o mundo, todos os dias várias mulheres são vítimas desse crime absurdo que abre feridas profundas na alma de uma mulher, algumas pessoas colocam a culpa na vítima na maioria dos casos, dizem que foi porque usava roupas curtas, ou provocou o abusador, mas nada justifica algo tão brutal cometido contra uma mulher. Felizmente há alguns casos em que as vítimas conseguem sair livre desse crime nojento que deveria ter uma punição mais severa para tentar diminuir o número de estupros em todo o mundo.

PUBLICIDADE

Helen Reynolds mora em Parkesburg, na Pensilvânia, Estados Unidos, ela é uma corajosa senhora de 88 anos que conseguiu impedir seu estupro ao dizer apenas uma frase.

O criminoso foi até a casa de Helen, ele se apresentou como um trabalhador do complexo de apartamentos. Ela o deixou entrar e ele a atacou e usou uma fita adesiva potente para amarrar Helen.

PUBLICIDADE

“Ele me envolveu toda, meu rosto e meu nariz e meus óculos. Ele tinha colocado um pedaço de fita na minha boca” disse Helen. Depois de mexer na bolsa de Helen e roubar 40 dólares o homem demonstrou interesse em atacá-la sexualmente.

Helen tentou lutar com ele e chutá-lo em seus genitais, mas tudo foi em vão. Quando isso não adiantou ela pensou rápido e disse uma frase que fez o agressor recuar.

PUBLICIDADE

“Eu disse a ele ‘bem, se é assim, você tem que saber a verdade. Eu tenho HIV e meu marido morreu disso”.

Helen inventou a história de última hora, para tentar afastar o molestador. E deu certo.

“Quando eu disse aquilo, ele simplesmente saiu correndo da casa. Esse é a frase que salvou minha vida”.

PUBLICIDADE

Em uma entrevista perguntaram a ela se ela tinha alguma coisa a dizer sobre o abusador, ela respondeu apenas: “Não tenho nada de bom a dizer sobre ele. Nada mesmo. Coloque-o na prisão, e deixe o otário lá”.

O estupro é a prática do sexo sem o consentimento do outro, forçado por meio de violência ou ameaça de qualquer natureza, um crime que deveria ser punido com mais severidade, talvez assim diminuiria consideravelmente o número de mulheres vítimas desse absurdo.