Mundo

Após passarem 31 anos separados, mãe reencontra o filho sequestrado

Foram mais de três décadas separados, essa é a prova de que as pessoas não devem desistir de seus objetivos.

Só Deus sabe, o que o coração de uma mãe e de toda família sente, ao ter seu filho, um ente querido perdido, sequestrado, desaparecido. É desesperador imaginar não saber o paradeiro de um ente querido, quanto mais um filho, e viver essa situação na pele, é com certeza uma dor inexplicável. Viver anos sem notícias, sem ao menos sentir o cheiro ou o toque, se torturar por todos os dias com essa dor, é sem dúvidas terrível.

PUBLICIDADE

Essa é a história de Lyneth Mann Lewis, uma mulher canadense, que teve seu filho sequestrado enquanto ainda era uma criança. Passados 31 anos, a família de Lyneth teve um reencontro emocionante, com o filho que hoje está com 33 anos.

“Não há palavras para descrever o que senti ao ouvir ‘seu filho está vivo, o achamos’”, relatou Lyneth.

A canadense e o filho se encontraram nos Estados Unidos, onde o rapaz, chamado Jermaine passou a morar depois de ser sequestrado pelo pai.

PUBLICIDADE

Sobre o sequestro

O filho de Lyneth, foi sequestrado pelo próprio pai. Após a separação do casal, o pai de Jermaine fazia visitas autorizadas pela justiça canadense, e, em uma dessas visitas, o homem levou o bebê.

O rapto da criança foi investigado pela polícia de Toronto, mas sem sucesso. A partir daí, a foto de Jermaine passou a ser divulgada como pessoa desaparecida, inclusive imagens de como a fisionomia do rapaz, estaria nos dias atuais.

O caso só foi resolvido, porque Allan foi pego utilizando identidade falsa. Ele tem dupla cidadania, e conseguiu documentos de certidão de nascimento falsas, para ele e para o filho, que informavam que eles eram do Texas.

PUBLICIDADE

A falsidade de documentação de Allan foi descoberta, quando o homem tentou dar entrada nos papéis para alugar uma casa e teve seu rosto foi verificado pelo sistema. Allan foi acusado de falsidade ideológica nos Estados Unidos e pode ser entregue ao Canadá, país em que ele é acusado por sequestro.

Allan escolheu morar nos Estados Unidos, e contava a Jermaine, que sua mãe havia morrido quando ele ainda era pequeno, para justificar a ausência de Lyneth, na vida do garoto.