Sem categoria

Pais devem ficar atentos a doença “mão-pé-boca”

Essa virose é contagiosa, Médicos fazem alerta Veja:

Pais devem ficar atentos a doença “mão-pé-boca”

PUBLICIDADE

Médicos orientam para que os pais fiquem atentos a essa doença que traz dor, muito incômodo e ocorre disseminação se não tiver os cuidados devidos na higiene.

Creches e escolas devem também tomar todo cuidado.

PUBLICIDADE

Conheça essa doença e saiba como evitá-la.

O que é a síndrome mão-pé-boca?

PUBLICIDADE

Essa doença é causada por micro-organismos, é transmitida por diversos tipos de vírus assim como a gripe e

é viral.

A doença tem gravidade?

Crianças que na fase da doença que não se alimentam bem, podem desidratar e ser levada a internação para tratar a doença.

PUBLICIDADE

Em raros casos pode evoluir para meningite, insuficiência cardíaca, mas não se preocupe, são

poucos casos que evoluem a problemas mais sérios.

Sintomas da doença:

Na fase inicial, ocorre dor de garganta, mal-estar, febre,perda do apetite, os sintomas são muito

parecidos com as demais viroses.

Depois de dois dias aprecem os sinais que caracteriza a doença, aprece manchas vermelhas

e bolhas na pele, que se tornam logo em feridas que doem, são parecidas com aftas e aparecem depois na boca e na língua.

Nem sempre as feridas vão surgir nas três regiões que são: mão, língua e boca,

pode surgir apenas em um local, por exemplo: as costas.

A doença é contagiosa?

É muito contagiosa, em poucos dias uma escola ou cresce toda pode ser atingida pela doença,

para não ocorrer contagio é necessário que a criança afetada fique em casa.

Como ocorre o contagio?

Ocorre pelo contato direto por gotículas contaminadas, expelidas pelos espirros ou tosse,

contato com secreções de feridas ou fezes dos doentes,

Ocorre contágio através de toalhas compartilhadas, copo ou telefone que o doente tenha contato e depois outra pessoa

tocar. Qualquer contato direto com a pessoa infectada pode passar pra outra pessoa sadia.

Quem pega a doença?

Geralmente são crianças e bebês que  tem a imunidade mais fragilizada.

Prevenção da síndrome:

Não existe vacina para imunização contra a doença.

Use luvas descartáveis para trocar a fralda do bebe para evitar

desse vírus se espalhar através das fezes. È necessário bastante

limpeza em banheiros e objetos.

Tratamento da doença:

Não existe um medicamento que traga cura para essa doença.

Algumas medicações são utilizadas para apenas trazer alívio da dor e diminuir a febre.

Se seu filho ou alguma criança que conheça apresentar os sintomas, vá já ao médico.

Siga as orientações médicas e tome os cuidados para que não haja contaminação de outras pessoas.