Notícias

Mãe dá à luz a gêmeas prematuras, alguns minutos depois o médico entra e diz: “Sinto muito”

As palavras do médico caíram como uma bomba sobre os pais e eles temeram o pior.

Com o avanço da tecnologia e da medicina, hoje as grávidas já podem saber qual o sexo do bebê e se ele é saudável ou não, mesmo antes do parto através do ultrassom. Mas mesmos com esses recursos disponíveis a nós, ainda acontecem algumas coisas que não temos como prever.

PUBLICIDADE

Nicola Bailey ficou radiante quando descobriu que estava grávida e mais ainda quando descobriu que a alegria viria em dobro. No ultrasson tudo parecia estar bem com as meninas. No entanto, 30 minutos após o nascimento o médico entra no quarto e disse para a mãe: “Sinto muito”.

Nicola e Todd Bailey estavam muito felizes com a chegada das filhas, por isso as palavras do médico deixaram os pais de coração partido, eles pensaram no pior. Eles já eram pais de um menino de quatro anos, Lucas, quando recebeu a feliz notícia de que iam chegar mais duas lindas meninas na família.

A mãe contou que engordou muito rápido, mais do que na primeira gravidez e passou muito mal. Assim que fez o primeiro ultrassom, ela soube o motivo, estava grávida de gêmeas.

PUBLICIDADE

Mas a mãe das meninas entrou em trabalho de parto com 32 semanas de gravidez. Os médicos foram capazes de parar as contrações durante uma semana. Passado esse tempo, Harper e Quinn nasceram. Ela contou que quando viu as filhas logo se apaixonou porque as duas eram lindas.

As meninas nasceram prematuras foram levadas rapidamente para os primeiros cuidados após o nascimento. Mas, depois de 30 minutos o médico voltou e disse a Nicola: “Sinto muito”. Eles suspeitavam que Harper tivesse síndrome de Down. Os testes e análises que foram feitos confirmaram o diagnóstico.

PUBLICIDADE

Até o nascimento o casal não sabia que a filha Harper tinha essa condição, a mãe ao saber que a filha tinha síndrome de Down disse que a menina era perfeita e ela não a trocaria por nada no mundo disse a mãe. Apesar de a filha ser um bebê diferente, a mãe disse que o médico não precisava se lamentar, pois a menina era perfeita da forma que é e a família a amará de forma incondicional.