Curiosidades

Professora que adotou índio com Síndrome de Down afirma que aprende coisas novas todos os dias

A mulher declarou aprender coisas novas com o filho todos os dias

Beatriz Mello é uma mulher de 62 anos de idade que trabalha como psicopedagoga e adotou uma criança indigne com muitas características especiais. Ela tinha Síndrome de Down e era surda e muda. A adoção aconteceu na cidade de Cuiabá no ano de 2006 e recentemente Mello surpreendeu todos com suas declarações.

PUBLICIDADE

A profissional afirmou que aprende coisa novas todos os dias o então filho Antônio Paulo Kaban Cinta Larga Mello, que hoje está com 13 anos de idade e nasceu na comunidade Cinta Larga. Se sabe que Paulo seria sacrificado por sua tribo, pois, possuía Síndrome de Down.

O garoto é o décimo segundo filho de um casal de indígenas que pertencia à tribo Cinta Larga e os pais sabiam que o filho iria precisar ser sacrificado por conta de suas características especiais. Com medo eles decidiram entregar o bebê recém-nascido para a Funai (Fundação Nacional do índio) na esperança de que o filho fosse salvo.

PUBLICIDADE

A Funai colocou o bebê índio para a adoção e Beatriz lembrou que mesmo com todos os documentos necessários para adotar Paulo e com o aval dos pais, as coisas ficaram um pouco tensas e uma jurisprudência foi aberta. A mulher revelou que permaneceu por longos 4 anos tentando estabelecer um acordo com a Justiça brasileira a fim de tornar a adoção oficial.