Diversidades

Mãe que não sabia quem era pai do filho decide colocar sobrenome do ex e atual na certidão de nascimento

O registro multiparental aconteceu em Florianópolis (SC). Entenda o caso.

Enquanto alguns pais fogem da responsabilidade de assumir a paternidade dos filhos outros já causam até surpresa quando se trata da responsabilidade em assumir que o filho seja seu realmente. O caso desse artigo fala sobre a história de uma mulher que não sabia quem era o pai do filho dela e decidiu tomar uma decisão a respeito do caso muito polêmica. Isso porque ela decidiu colocar o sobrenome do seu ex e também do atual na certidão de nascimento da criança.

PUBLICIDADE

O estranho é que hoje em dia é muito fácil saber quem é o pai da criança, basta os dois fornecerem material genético para que um exame de DNA fosse feito e acaba todo o mistério sobre quem é o pai, mas a mãe se recusou a fazer o teste.

A mulher deu luz a criança no período em que havia acabado de terminar um relacionamento e começado outro, no entanto ela não quis acabar com o mistério sobre quem é o pai da criança e decidiu deixar as coisas como estão, mas para não causar nenhum tipo de confusão entre os dois ela colocou o sobrenome dos dois na certidão. O atual companheiro, independentemente da situação, tem a criança como se fosse dele.

O ex-companheiro, acredita que o bebê possa ser seu filho porque segundo ele, a data em que a mulher ficou grávida coincide com a data em que os dois ainda estavam juntos. Já o atual nem se incomoda com o fato da criança talvez não ser dele, ele ama e cuida como se fosse seu filho.

PUBLICIDADE

O juiz entendeu que se tratava de um registro multiparental e permitiu que a criança fosse registrada com o sobrenome dos dois pais, o biológico e o afetivo.

A decisão evitou confusão entre os dois e também deu a oportunidade a criança de ter dois pais, só resta saber agora se depois que ela crescer não vai querer matar de vez a curiosidade de saber quem é o verdadeiro pai biológico e isso apenas o tempo dirá.

Um caso bem diferente daqueles a que estamos acostumados a ver onde o pai insiste em dizer que o filho não é dele.

 

PUBLICIDADE

Sobre o Autor