Curiosidades

Mãe faz um alerta sobre perigo da cadeirinha de carro após sua bebê quase perder a vida; “é assustador”

Tem uma informação importante sobre estas cadeirinhas que as pessoas não sabem e esta mulher fez questão de compartilhar com todos.

A segurança das crianças quando saem de carro com os pais é fundamental, assim como o uso de cinto de segurança é indispensável, para os bebês é necessário o uso da cadeirinha no banco traseiro.

PUBLICIDADE

Estas cadeirinhas de passeio, são bem confortáveis e totalmente seguras, os pais podem passear tranquilos com os bebês sem que eles venham se machucar.

O que poucas pessoas sabem, é existe uma informação muito importante em relação ao uso da cadeira de passeio, inclusive Kirsti Clark, que é mãe de duas crianças, também não fazia ideia, até que o pior veio acontecer com sua filha.

A escocesa de 28 anos, e seu marido Christopher, passaram por uma grande dificuldade, foram momentos desesperadores, um susto do qual eles jamais vão esquecer. O casal usou a experiência que tiveram para alertar outros pais, para que eles possam ter mais cuidados relacionados aos filhos.

PUBLICIDADE

Kirsti e Cristopher, ficaram atordoados ao saber que uma simples viagem de carro, poderia ter causado a morte de uma de suas filhas, uma bebê com três semanas de vida. A família saiu de viagem, o trajeto durou algumas horas por conta do trânsito local, a bebê estava acomodada na cadeirinha, onde ficou durante todo tempo.

Ao chegar em casa, a bebê permaneceu deitada na cadeirinha por mais uns 15 minutos, tempo que o casal levou para colocar a outra filha, Malena, para dormir.

“Quando nós chegamos em casa, já havia passado do horário que Malena deveria estar dormindo, então nós deixamos Harper na sua cadeirinha de carro por 15 minutos dentro de casa, enquanto colocávamos Malena para dormir. Meu marido tirou a Harper da cadeirinha e a colocou nos seus joelhos, mas ela parecia desconfortável, então ele a colocou no tapetinho”, explicou Kirsti.

Foi então, que Kirsti, a mãe da criança percebeu que alguma coisa não estava normal, tinha algo errado com sua filha, ela estava com os lábios azuis, Christopher então notou que as bochechinhas de Harper também estavam avermelhadas demais.

PUBLICIDADE

“Ele a pegou no colo e eu logo percebi pelo rosto que algo estava errado”. Eles perceberam que uma espuma branca saia da boca da neném.

“Não foi uma convulsão normal, ela estava arqueando suas costas e jogando sua cabeça para trás”.

Os pais de Harper estavam desesperados, imediatamente eles levaram sua filha ao hospital. Durante o percurso até chegarem ao hospital, Kirsti foi verificando se a bebê conseguia respirar, e fez tudo que pode para mantê-la acordada.

Já no hospital, a bebê deu entrada no atendimento de emergência, a equipe médica socorreu Harper e conseguiu reanimá-la, a bebê voltou a respirar.

PUBLICIDADE

“Então, as lágrimas vieram, e eles me deixaram segurá-la antes de fazerem os testes para saber o que causou tudo aquilo”, disse Kirsti.

Harper passou por uma bateria de exames, pelos quais os médicos puderam constatar que tudo aconteceu devido ao bebê ter passado por um período de 2 horas na cadeirinha, isto causou uma privação de oxigênio. Ao Cristopher colocar Harper sobre o tapetinho, a posição fez com que o oxigênio aumentasse rapidamente causando um choque em seu corpo.

Logo levantou-se a suspeita de que a cadeirinha usada para o passeio com a garotinha, poderia estar com algum defeito, porém isso não aconteceu, a cadeirinha estava em perfeitas condições. Uma consultora explicou para a mãe de Harper, que todas as crianças podem vir a ter essa privação de oxigênio se ficar por mais de 1 hora na cadeirinha.

Graças a Deus, Harper foi socorrida a tempo e conseguiu voltar a respirar. Os pais da bebê no entanto, ficaram chocados, por nunca terem sido orientados a não deixar suas filhas por um tempo extenso na cadeirinha, e até mesmo, por não terem tido acesso a esta informação, antes de sua filha quase perder a vida.

“Quando a consultora nos contou que foi a cadeirinha de carro, eu não pude acreditar. Eu pensei ‘não é possível’. Eu não conseguia entender porque ninguém havia nos falado disso. Por isso que nós sabíamos que tínhamos que compartilhar o que acontecer com a Harper, porque os pais precisam saber. Apenas duas horas na cadeirinha de carro e nós poderíamos tê-la perdido, é assustador”, disse Kirsti.

“Fique de olho no seu bebê e o conheça bem. Se algo não parece certo, leve-o diretamente para o hospital”, concluiu.

 

Sobre o Autor