Curiosidades

Advertência de uma psicóloga infantil; você nunca deve beijar na boca de seus filhos

Especialistas alertam para as consequências comportamentais e os riscos que a prática pode trazer para a saúde das crianças

Filhos são mesmo o maior amor do mundo, maior que o amor por um filho, só o amor de Deus, assim muitas mães definem esse sentimento único, e que tentam demonstrar o tempo todo, de todas as formas. Mas fica um questionamento no ar, existe limites para demonstração de carinho entre pais e filhos? Hoje vamos abordar um tema interessante e polêmico.

PUBLICIDADE

Muitas mamães e pais, dizem não ver problema algum dar os polêmicos selinhos em seus filhos. Mas, ao serem questionados, não sabem responder ao certo, até que idade é aceitável beijar na boca dos filhos. Para Reznick, psicóloga infantil, ninguém, nem mesmo os pais, devem beijar as crianças na boca. Veremos a seguir o motivo dessa declaração.

Há um tempo atrás, a famosa modelo Victoria Beckham postou uma foto beijando a boca de sua filha e compartilhou no seu perfil do Instagram. O público seguidor da modelo se dividiu em dois grupos.

PUBLICIDADE

Para um grupo, se tratava de algo carinhoso, para outros, isso retrata algo repugnante. Esse post polêmico levou  a psicologa infantil Charlotte Reznick a fazer uma avaliação como profissional. Segundo ela, nem os pais ou outra pessoa qualquer deve beijar na boca das crianças. “Se você começar a beijá-la na boca, quando vai terminar? Isso se torna muito confuso”, diz ela.

Ainda de acordo com a concepção da psicóloga, desde muito cedo a criança já desenvolve a consciência desse assunto íntimo. É justamente por esse motivo que os inocentes beijos podem criar vínculos emocionais que confundem a cabeça das crianças. “Quando uma criança faz quatro, cinco ou seis anos sua consciência sexual começa (para alguns começa mais cedo), e então um beijo pode estimulá-los, diz Reznick. “Se alguém me perguntar quando deveria parar de beijar seus filhos, eu diria pare já”, continua.

PUBLICIDADE

Nem todos os colegas psicólogos concordam com o que afirma Reznick. Uma também psicóloga, a Sally, não concorda com a opinião de Reznicks: “Não há chance de que um beijo na boca possa ser confuso para eles. Isso é como dizer que a amamentação pode ser confusa.”

A médica Fiona Martin também diz que não vê nenhum problema nesse gesto. Apesar de alguns discordarem e das críticas, a psicóloga infantil Reznick continua defendendo sua tese sobre esse assunto.