Curiosidades

10 verdades que toda mulher deveria saber sobre a pílula do dia seguinte

Aprenda como usar, quais são os riscos, e principalmente os riscos de se consumir a pílula sem orientação médica.

Se você ainda não conhece, saiba que a pílula do dia seguinte ou contracepção de emergência é um método para evitar a gravidez. Ele funciona nas primeiras 72hrs após o ato íntimo, e é muito indicado em caso de “coito forçado”, ou até mesmo para aqueles que esquecem de tomar o remédio e não querem engravidar.

PUBLICIDADE

Importante sublinhar que por ser um método de emergência, não pode ser utilizado com frequência, somente em casos especiais, e uma mulher pode somente recorrer a esse método 1 única vez ao ano.

A pílula provoca reações adversas, mais conhecidas como náuseas, cansaço excessivo e por essa razão, por ter efeitos colaterais, nenhuma mulher deve ultrapassar a dose de uma única pílula ao ano.

E seus efeitos colaterais não param por aí, ela realmente é eficiente, mas após ser utilizada pode provocar:

PUBLICIDADE
  • Sangramento vaginal discreto;
  • Menstruação sendo antecipada;
  • Diarreia;
  • Dores nas mamas.

Como funciona a pílula?

Algumas pessoas acham que ela é abortiva, mas isso é um engano. A pílula não tem nenhum efeito abortivo. Na verdade ela apenas impede a fecundação após a relação amorosa, impedindo que o óvulo seja fecundado e que aconteça uma gravidez indesejada.

Em poucas palavras, quando o medicamento é consumido:

  • Descama o útero, impedindo assim a instalação do óvulo fecundo;
  • Diminui os movimentos das tubas uterinas;
  • Com isso, o óvulo não é liberado e a fecundação não acontece.