Notícias

Mãe faz um alerta após sua bebê sofrer queimadura química ao usar fralda descartável

É preciso ficar atenta, pois nos primeiros meses de vida a pele do bebê é muito sensível, especialmente se o pequeno nasce prematuro

A mãe Reanne Davis, de 24 anos, residente em Bristol, comprou uma marca de fraldas pouco conhecida e para sua surpresa, sua bebê Elizabeth, recém-nascida, acabou sofrendo queimaduras químicas.

PUBLICIDADE

Reanne conta que duas horas após ter colocado a fralda da marca inglesa Boots, sua bebê começou a chorar muito, ela não sabia o que poderia ser, então decidiu olhar a fralda e ficou horrorizada quando viu que a pele da parte de trás de sua bebê estava toda vermelha, descascando, em carne viva, o vermelho marcando exatamente na área onde a fralda estava.

“Eu fiquei chocada com o que eu vi! A pele da minha bebê na região da fralda estava em carne viva e ela chorava muito. Eu nunca pensei que uma fralda poderia fazer isso”, disse ela em entrevista ao jornal britânico Mirror.

A mãe conta que tentou vários métodos para tentar aliviar a dor de sua pequena, mas ela não parava de chorar. No dia seguinte, ela ligou para o médico da bebê, que aconselhou levar sua filha imediatamente a um hospital.

PUBLICIDADE

Chegando ao hospital, os médicos examinaram a bebê e constataram que a recém-nascida tinha tido uma reação alérgica ao material absorvente da fralda. A bebê precisou tomar antibióticos e usar creme com esteroides para o tratamento.

“Nunca mais volto a usar nenhum produto da Boots. Não estou satisfeita com esta situação, exijo que retirem todas as fraldas do mercado para que isto não volte a acontecer a mais nenhum bebê”, disse a mulher.

Um porta-voz da marca Boots se pronunciou a respeito do caso e informou que será feita uma investigação, e que lamenta o acontecido.

“Desejamos uma recuperação muito rápida para a bebê. Levamos muito a sério a segurança e o bem-estar dos nossos clientes e da família. Já estamos com o pacote de fraldas em questão e a nossa equipa já está a investigando o caso”, disse.

PUBLICIDADE