Curiosidades

Dar a luz a um menino afeta muito o corpo da mulher, entenda os motivos

As transformações no corpo da mulheres podem ser diferentes dependendo do gênero da criança, entenda o que acontece quando a gravidez é de menino.

Uma gestação, é um momento único na vida de um casal, principalmente quando é uma gravidez planejada, desejada. Claro que os casais ‘grávidos de surpresa’ também passam por um momento único, mas são emoções um pouquinho diferentes, porém ambas especiais. A verdade, é que um filho é a maior dádiva na vida de uma mulher. Ter o dom de poder gerar uma nova vida, dentro do seu corpo, ver as transformações acontecendo, sentir o bebê se desenvolvendo e também mexendo dentro de sua barriga, poder viver e experimentar do mais puro amor, e, totalmente incondicional.

PUBLICIDADE

A realidade, é que durante a gravidez, é completamente normal e esperado que o corpo da mulher, venha sofrer alterações, ele vai se transformando no decorrer de toda a gestação. Após o parto, pode ser que levem até alguns meses, até que o corpo se transforme novamente, e assim volte a ser como era antes, em alguns casos, é necessário mais tempo, cada organismo é diferente, alguns podem levar mais de um ano para que isto aconteça, caso ainda esteja amamentando neste período. Alguns estudos comprovam, que na gestação de menino, o corpo da mãe sofre ainda mais alterações e mais significativas.

A Universidade de Granada, que fica na Espanha, realizou um estudo que comprova que em uma gestação de meninos, a mulher tende a sofrer mais com estresse, do que em uma gestação de meninas. Outro fator comprovado pelo estudo, é que na gestação de meninos, gera se mais processos químicos, os chamados radicais livres, eles podem causar danos nas células maternas e causar alguns problemas de saúde, como a depressão e o Alzheimer.

A pesquisa realizada para este estudo, contou com a colaboração de 56 mulheres, das 56 mulheres, 27 estavam em uma gestação de menino e 29 estavam em uma gestação de menina.

PUBLICIDADE

Elas tiveram acompanhamento de pesquisadores, até mesmo um ano depois do nascimento das crianças, e, mesmo com os estudos realizados, comprovando essa tese, os estudiosos não podem ainda confirmar que mães de meninos podem desenvolver problemas de saúde. Eles afirmam que é necessário aprofundar nos estudos, para que realmente seja confirmado.