Curiosidades

5 maneiras eficaz para evitar que as crianças falem palavrão

As crianças refletem aquilo que vêm ou ouvem, adultos precisam vigiar seu comportamento para que elas não repitam o que é errado

ANÚNCIOS

Com a correria do dia-a-dia todos estão propensos a se exaltar um pouquinho, chegar naquele nível de estresse mais alto, que diante de uma situação chata, dolorosa ou complicada te faz soltar um palavrão. Quem nunca passou por isso, não é mesmo?

Depois de falar um palavrão, passa um pouquinho o estresse, algumas pessoas se sentem até mais leve, mas a questão principal, é que estes palavreados podem estar mais inclusos em sua rotina do que você mesmo imagina.

Diante disto, levanta-se a seguinte pergunta: Seu filho é daqueles que sugam tudo que vê ou ouve? Crianças do tipo ‘esponja’, absorvem todas as coisas que vivenciam em casa, e por isto, podem repetir os atos que acontecem dentro do lar.\n\nIsto é tão real, que na Inglaterra, fizeram uma pesquisa em creches, foram ouvidos 1.125 funcionários que cuidam das crianças, a proporção é de 1 para 10 destes funcionários que disseram já ter escutado as crianças dizerem algum tipo de palavrão, 13% destes mesmos funcionários acreditam que ouve um aumento de xingamentos entre as crianças.

Nos dias atuais os xingamentos passaram a ser mais aceitos, usados até mesmo como gírias que os incluíram socialmente.

Segundo a psicopedagoga Adriana Barbeiro, as crianças com menos de 7 anos não compreendem os significados das palavras, apenas a partir dos 7 anos que elas começam a ter noção do que elas significam.

ANÚNCIOS

“É importante também entender que o sentimento de raiva da criança não tem apenas o lado negativo. Ele é algo natural e você deve dizer isso à criança, sem puni-la, mas com diálogo. Perceba que, não necessariamente, seu filho não falou palavrão porque é mal-educado ou birrento, mas sim porque ainda não tem controle emocional dos sentimentos negativos”.

Existem 5 dicas que podem te ajudar a resolver este problema com as crianças que estão passando por esta fase:

1 – Imitar e Repetir

As crianças são um espelho que refletem o que vêm, ou seja, elas tendem a imitar as atitudes que vê um adulto fazendo e repetir as palavras que escutam um adulto dizer. Isto é normal, é uma fase natural da criança que está em aprendizagem. É fundamental que os adultos vigiem para não fazer perto das crianças o que não querem que elas repitam.

2 – Identificar o Sentimento

A criança precisa entender o que sente, por isso explique sentimentos como a raiva, converse com seu filho, ensine e estimule que ele dê nome aos sentimentos. Olhe fixo dentro dos olhos da criança para explicar, ensine que certas atitudes são erradas e podem magoar e chatear outras pessoas ou até mesmo machuca-las, assim como bater e falar palavrões.

ANÚNCIOS

3 – Reconhecimento

Como dissemos na primeira dica, o importante é vigiar suas atitudes, porém caso aconteça de dizer perto de seu filho algo feio, palavras de baixo calão, a melhor posição a ser tomada é de se sentar com a criança, se desculpar por seu erro e explicar que, este erro aconteceu por algum motivo que a deixou brava ou triste, mas que isto é extremamente feio e não vai se repetir.

4 – Estratégia de Reforço

Caso apenas conversar não esteja resolvendo a situação, crie frases que identifiquem sentimentos tipo a raiva, a insatisfação e a frustração, que sejam adotadas pela família. Isto ajudará que os sentimentos sejam expressados melhor, também servirá como um sinal quando a criança precisar receber um pouco mais de atenção.

5 – Olho nas Telas

Se em sua casa, você e sua família não têm o hábito de a falar palavrões, é importante dar atenção ao que a criança pode estar assistindo na televisão ou no celular.

 

ANÚNCIOS

Sobre o Autor